Saudade


Sinto saudades… muitas saudades meu pequenino. Sinto falta do teu sorriso, do teu olhinho azul, do teu corpo pequenino, do calor da tua minúscula e macia mãozinha de algodão… Sabes meu amor, quando estes momentos chegam, eu fico com o coração apertadinho de saudades, porque sinto falta da tua mão pequenina acariciar o meu rosto, sinto saudade do calor do teu minúsculo corpo, do teu sorriso, do teu olhar…

Hoje, eu lembrei de ti, de novo… Olhei em vão para o teu quarto, com a esperança que podias voltar, esperei longas e silenciosas horas, e acabei por adormecer, bem agarradinha ao teu casaquinho de lã. Foi bom, foi mesmo muito bom. Chegaste a mim em sonhos, eu senti que me puxavas os cabelos caídos no rosto, senti o teu dedinho segurar a minha lágrima, senti os teus doces lábios beijarem a minha mão, e o teu cheiro! Eu senti sim, o teu doce cheiro. Eu nunca irei esquecer o aroma doce, que o teu corpinho tinha, a tua pele sedosa, o teu narizinho pequenino, os teus braços abertos para mim… eu nunca, mas mesmo nunca irei esquecer, o quanto foste, e és, a pessoa mais importante na minha vida.

Eu sei que tinhas que partir, eu entendo. Só que podias ter ficado um pouco mais, podias ter me deixado ver-te crescer, brincar, podias ter-me dado mais tempo para te abraçar e beijar. Podias ter esperado um pouco mais, ou quem sabe, ter-me levado contigo. Assim, partíamos os dois de mãos dadas, e eu tinha-te mais tempo para mim. Eu entendo! Entendo tudo, menos não me terem preparado para a tua partida. Eu sinto tanto a tua falta, eu preciso tanto de ti. Meu doce, eu sei que todos os dias me beijas e abraças, eu sinto, é tão bom e tão diferente. Sinto que em momentos de tristeza, tu colocas a tua pequenina mão no meu peito, e agradeço. Sinto que em momentos de angústia tu me abraças docemente, e fico feliz. Mas sinto tanto tanto a tua falta… Hoje, voltei a entrar no teu quarto, de novo, e tudo parecia diferente, havia brilho, um brilho lindo, suave e quente, uma brisa que me aqueceu logo o coração e me fez sorrir, pela primeira vez, eu sorri ao entrar no teu aposento. Senti que estavas ali, mas foi muito diferente, não estavas sozinho, senti a tua mão agarrar a minha, senti como se algo de lindo fosse acontecer, por momentos pensei que tinhas voltado para mim, mas não, não foi isso que aconteceu… foi melhor, mais encantador. Desta vez, foi mágico, foi sublime, vieste-me buscar para junto de ti…

Obrigado meu amado filho, obrigado... Agora sei que vou finalmente ser feliz.

3 comentários:

Ivanova disse...

Alice, este texto é lindo... de chorar... bjinhos doces

Alice disse...

Obrigada minha querida...
Há dias que a caneta leva-me para isto:)
Beijinho doce para ti também

"O meu caminho de luz" disse...

Este não é um texto qualquer, mana... é muito real, certo? Mas é lindooooo... quando as palavras saiem directamente do coração... o resultado é fantástico!!!
Beijinhos com muito carinho...